terça-feira, 15 de novembro de 2011

A LINDA VELHA

A LINDA VELHA

Santa Simone é a maior Salina da Região,está localizada no Estado do Piauí,seus proprietários são de Chaval e devido a proximidade com a referida cidade, a maioria de seus trabalhadores são de Chaval,cidade do estado do Ceará. Durante a safra de sal ficam dias e dias arranchados nos barracões.
O senso comum mexe com o imaginário das das pessoas e as histórias vão passando de boca em boca e as mais convincentes são contadas como verdades.
Os trabalhadores tem uma labuta árdua .Depois de um dia cansativo fazem a última refeição ás sete horas da noite ficam conversando, sempre historias fantásticas, contando vantagens. Dormem cedo com o estômago cheio e sempre são acometidos de pesadelos e visões noturnas. Muitas histórias já saíram desta clientela , a mais popular é a da “LINDA VELHA.”
Depois da última refeição os trabalhadores formam uma roda, acendem uma fogueira no centro e ficam a conversar, quando uma linda moça aparece e escolhe um trabalhador fica chamando-o , vai se aproximando,aproximando, hipnotizando-o com sua beleza...Tão bela ,tão bela, que dói na alma...Quando chega bem próxima do trabalhador...Surpresa!..A beleza se transforma em horror1.. a linda mulher se transforma numa velha,tão velha que parece uma bruxa,uma mistura de cara de velha,bruxa e caveira horrenda de arrepiar...

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

segunda-feira, 2 de junho de 2008

HISTÓRIA DE CHAVAL

MUNICÍPIO :CHAVAL

ESTADO : CEARÁ

CEP:62420-000

TELEFONES PREFIXOS:3625

TOPONÍMIA:CHAVE

GENTÍLICO:CHAVALENSE

VARIAÇÃO TOPOMÍNICA: ANTERIORMENTE CHAMOU-SE IBUASSU

LIMITES DE CHAVAL

Município localizado a 410 Km de Fortaleza, limitando-se a :

LESTE: município de Barroquinha

OESTE:município de Luís Correia e Cajueiro da Praia no estado do Piauí

NORTE:município de Barroquinha

SUL :município de Granja

HISTÓRIA DE CHAVAL

Chaval ,pequena cidade localizada no Norte do Ceará ,situada entre monólitos gigantes, foi primitivamente ocupada pelos Tremembés, índios Tapuias, da tribo dos Cariris,plantadores de cajueiros,que viviam da caça e da pesca, dominavam a extensa faixa litorânea que vai de Camocim até além de Parnaíba.

Os primeiros povoadores, vindos do Ibuaçú,datam de 1872, ano que aqui chegou, o padre Antônio Carneiro da Cunha Araújo, acompanhado de seus pais, Joaquim Carneiro da Cunha e dona Francisca Joaquina do Nascimento , familiares e serviçais, localizaram-se no lugar conhecido por Bosque Velho, abeirando o salgado,uns dedicaram-se à exploração de sal marinho e outros à lavoura e pecuária.

Seis anos depois da chegada dos primeiros colonizadores, foi erguido o primeiro armado com a construção de uma capela cujo orago, Santo Antônio, fora escolhido pelo padre Antônio, santo de seu nome e de sua devoção.

Esse local, cercado de enormes monólitos, está localizado entre o rio Timonha, ao nascente e ao rio Ubatuba, ao poente formando a barra do Timonha que dista seis Km da cidade.

Segundo reza a história, foi encontrado no Lagamar um molho de chaves de ferro, que segundo os antigos, foram perdidas por barcos holandeses que trafegaram pelas costas do Ceará e Maranhão.Outra versão, afirma que essas chaves foram deixadas pelos índios que habitavam a região.Chave era a expressão de fechar um território e abrir um ponto estratégico para o inimigo e ser um reduto de sal marinho,designou-se assim a palavra Chaval.Também existem defensores de que a palavra de origem latina”chavasco”,que significa terra agreste,mal pronunciada pelos sertanejos sem estudos,teria dado origem “Chaval”, e com o passar dos anos a palavra original fora esquecida.Porém algumas pessoas defendem a idéia de que a origem deve-se a palavra “cheval”,cavalo em francês,ou fazenda “Cheval”,uma homenagem talvez à uma fazenda de criação de cavalos que deu origem à Chaval.

O atual patrimônio do município ,foi comprado pelo padre fundador pela quantia de seis mil oitocentos e cinqüenta réis, moeda corrente na época, termo de Granja, em 09 de junho de1874.

Chaval antes de adquirir sua autonomia política pertenceu a Granja e a Camocim e o ideal de Monsenhor Carneiro, era de ver seu município independente, desligado das algemas que o prendia de Camocim.

Para conseguir o seu ideal, Monsenhor recorreu para os laços de amizade que o ligavam ao seu dedicado amigo Deputado Estadual, Murilo Aguiar.

O êxito foi completo e a Assembléia Legislativa aprovou o projeto de Emancipação Políticado Município do ilustre Deputado e no dia 22 de novembro de 1951, o governador do estado do Ceará, Dr. Raul Barbosa, sancionou a Lei nº 1.153, criando o município de Chaval, desmembrando de Camocim, a sua área territorial.

Por eleição popular, realizada em 1954, foi eleito seu primeiro Prefeito Municipal, o cidadão Francisco Thiers Carneiro, que tomou posse perante a Câmara Municipal, em 25 de Março de 1955, tendo como primeira dama do Município, a senhora Isabel Alves Thiers Carneiro.

Eis por ordem cronológica, os prefeitos Municipais de Chaval:

1º-Francisco Thiers Carneiro (1955)

2º-Epitácio Brito de Oliveira (1959)

3º-Libório Adrião de Araújo (1963)

4º-Francisco Ângelo Sobrinho (1967)

5º-José Augusto Fontenele (1971)

6º-Francisco de Assis Damasceno Carneiro (1973)

7º-João Batista de Araújo (1975)

8º-Francisco Pereira Filho (1977)

9º-Francisco de Assis Brandão Meireles (1983)

10ºJoão Batista Paula dos Santos (1989)

11ºFrancisco de Assis Brandão Meireles (1993)

12ºPaulo Sérgio de Almeida Pacheco (1997)

13ºPaulo Sérgio de Almeida Pacheco(2001)

14ºJoércio de Almeida Ângelo(2005)

15ºFrancisco de Assis Brandão Meireles(2007)

DISTRITOS

Passagem do Vaz, localizado a 22Km da sede do Município.

LOCALIDADES

Carneiro, Retiro, Boa Vista, Brasília, Lagoa do Mato, Tucuns, Cafundó, Jatobá,Pau D’arco Malhada da Areia, Salgado dos Soteros, Mocambo dos Quincas, Mocambo dos Costas, Lagoa do Mocambo, Japão, Pernambuquinho, Volta do Boi,Japão, Ilhota, Ilha do Sabóia, Ilha dos Veados, Ilha dos Preás,São João da Praia, Boa Vista, Raposa, Jatobá dos Aprígios , Pilão de Pedra, Poção,São Paulo,Remanso, Nova Olinda, Canto, Carcará, São Lino , Lima, Vereda do Lúcio, Vereda Grande e São Paulo dos Andrés.

MEIOS DE TRANSPORTES

Empresas de ônibus Intermunicipais e Interestaduais, Guanabara,Empresa Rosana,Ipú Brasília, camionetas, vans, automóveis, motocicletas, bicicletas ,animais, Motos e embarcações de pequeno porte

CLIMA:

O Clima do Município de Chaval é quente e seco. A temperatura média gira em torno de 27,5ºC, a temperatura máxima chegando a 33ºC e a mínima a 22ºC, durante o dia a temperatura é bem elevada, enquanto a noite, o clima é mais ameno. A média de precipitação pluviométrica anual, está em torno 1000 milímetros.Devido ser região litorânea, apresenta abundância de ventos. O inverno normalmente inicia em janeiro e termina em junho, sendo o período mais chuvoso fevereiro e abril. O verão estende-se de julho a dezembro.

RECURSOS NATURAIS DE CHAVAL

SOLOS:

Os solos predominantes no município de Chaval, são os tipos Padzólico vermelho-amarelo distrófico, solódico Plasnosso solódico, solos de mangues. Os de textura argilosa, os planossolos são rasos e de textura areno-argilosa.

VEGETAÇÃO:

A cobertura vegetal é um reflexo das condições de clima, tipos de terrenos e uso atual.Nas proximidades do litoral, no baixo curso dos rios, predominam a vegetação de mangues marcada pela ação flúvio-marinha.

As terras circunjacentes são quase desabitadas e estéreis, devido a grande quantidade de blocos de granitos que se encontram em toda sua área.

A vegetação do município de Chaval está distribuída da seguinte forma: 243Km² está ocupado com o complexo vegetacional da zona litorânea e 43Km² com matas ciliares e caatinga. Dentre estas vegetações podem ser encontradas: maçarandubas, juazeiros, jurubebas, pinhão roxo ,pau ferro, cajueiro, e carnaubais.

OS MANGUEZAIS DE CHAVAL

Devido à localização de Chaval ser próxima ao estuário dos rios Timonha e Ubatuba, área que recebe água doce de vários igarapés na estação chuvosa e salgada do oceano Atlântico,possui a maior área de manguezais do Norte do estado do Ceará.O mangue é um dos ecossistemas costeiro que se localiza em regiões de encontro entre rio e o mar é formado por lama escura rica e vital para o equilíbrio ambiental, onde a vida marinha se alimenta e se reproduz. É neste ambiente povoado por plantas exóticas e animais curiosos como :guaxinim, rato do mangue e outros roedores, onde camarões, caranguejos, mariscos e muitas espécies de aves e peixes encontram seu berçário natura; plantas, animais e inclusive o homem, encontram alimentos em abundância e abrigo seguro . Nesta área, pratica-se a criação de camarão em cativeiro.É uma área de fácil erosão e, por isso, precisa de preservação ambiental .Esta região é muito rica em alimentos ,e muitas pessoas, de baixo poder aquisitivo, retiram dela o seu sustento. A vegetação de mangues desenvolve-se em terras pantanosas, pois é um ecossistema de solo negro, bem lodoso e profundo, que o torna sede de intensa orgânica com uma imensa quantidade de peixes, moluscos e crustáceos. Ao mesmo tempo, funciona como um “berçário” para as espécies que ali põem seus ovos. A explicação para a alta produtividade dos manguezais está na fermentação, de imensa fecundidade ,em que a fauna e flora se integram em constante renovação. Rico em matéria orgânica, resultado da decomposição das folhas dos mangues que caem e servem de alimentos para os caranguejos e parte que fica no solo apodrecem com ação das bactérias formando um solo humoso que revigora os manguezais. O fluxo e refluxo das marés levam alimentos para os crustáceos.

Cada espécie de mangue tem adaptação muito especial ao ambiente ,algumas árvores, por exemplo, tem raízes que permitem a sua fixação no solo,outras têm raízes respiratórias, ou aéreas.

As principais espécies de mangues existentes em Chaval são: mangue vermelho, branco, manso etc. O mais freqüente e que existe em maior quantidade é o mangue vermelho da família das rizoforáceas, suas árvores medem acima de quatro metros chegando até dez metros de altura, sua grossa casca contém de vinte a trinta por cento de tanino; substância usada para curtir peles e que lhes dá a cor vermelha. Perto das áreas de mangues vermelho em menor quantidade, o mangue manso, devido à predominância do vermelho , o manso é comprido e fino. O mangue branco ou laguncularia racenosa, popularmente conhecido como Canoé, não é tão alto, nem tão emaranhado, como o vermelho e nasce nas partes permanentemente inundadas. O mangue de Botão é menor do que as outras espécies de mangues e assemelha-se as árvores comuns, nasce nas partes mais altas,ou seja, nas margens dos rios Timonha e Ubatuba .Os mangues contribuem para a manutenção do solo, diminuindo a erosão e assoreamento dos rios Timonha e Ubatuba.

O manguezal de Chaval vem sofrendo constantemente a agressão do homem, através do corte de suas árvores, para retirada de madeira, lenha para queima, construções, construções de viveiros ou criatórios de camarões, e a pesca predatória (pescar na época do defeso, bater na água com varas para espantar os peixes, uso de bombas de pólvora, capturar os filhotes; a apanha de caranguejo durante a sua reprodução “carnaval” ou “brincadeira” e fêmeas.).

O que devemos fazer para preservar o nosso manguezal?

*Não apanhar caranguejos durante sua reprodução (“carnaval” ou “brincadeira”) e nem as fêmeas ovadas .

*É proibido em qualquer época do ano apanhar fêmeas de qualquer tamanho e machos com menos de 4,5 cm de comprimento de carapaça.

*Não pescar no período do defeso.(época em que a pesca é proibida em razão da reprodução.) Quem pesca neste período contribui para o desaparecimento de espécies e reduz a quantidade de alimentos para a comunidade que mora perto dos manguezais.

O que podemos desenvolver sem prejudicar o manguezal?

*pesca racional

*criação de abelhas para produção de mel;

*ecoturismo;

*educação ambiental e pesquisa científica.

ATIVIDADES ECONÔMICAS E RENDA

A base da economia do município repousa na indústria de extração do sal, de cera de carnaúba, crustáceos, de mariscos e pesca artesanal.

A agricultura praticada no município é de subsistência.

.

No setor Secundário e economia informal, verifica-se um aumento no número de estabelecimentos comerciais varejista, bares e lanchonetes regularizadas e um grande número de pequenos comerciantes que vivem na clandestinidade.

Na sede do município, 50% da população economicamente ativa, recebe por mês de 01 a 02 salários mínimos, 35% de 0,5 a 01 salário mínimo e 15% de 00 a 0,5 do salário mínimo. Na zona rural, 20% da população economicamente ativa, tem renda mensal de até um salário mínimo e 80% recebe de 00 a 0,5 do salário mínimo por mês.

O município conta ainda com uma grande quantidade de funcionários públicos, distribuídos entre municipais, estaduais e federais.

SALINAS: Já foram à base da economia de nossa cidade, com as indústrias de sal beneficiado, que trouxeram muitas oportunidades de trabalhos e muitos benefícios econômicos para a nossa sociedade. Os turistas que visitavam nossa cidade ficavam muito curiosos para saber como era o processo da extração de sal, com a chegada dos viveiros de camarão a extração de sal que já estava entrando em decadência encontra-se sofrendo sérias dificuldades, No início do século XXI a carcinicultura foi nova perspectiva de rendimento econômicos e geração de empregos, (criação de camarão em viveiros)Muitos salineiros deixaram de produzir sal e entraram para o ramo de camarões.As pessoas que estavam apossadas de salgados,logo trataram de vender seu direito de posse por um bom dinheiro.A cultura de camarões apresentava-se como o novo “Eldorado do Nordeste.”O Sonho terminou logo,primeiro foi 11 de Setembro(queda do Dólar),pois o maior importador eram os Estados Unidos,o camarão que tinha o preço de quatorze dólares,baixou para quatro dólares; aumento da fiscalização do IBAMA e SEMACE com grandes exigências, dificultando a licença para a construção de novos viveiros; a ração aumentou de vinte reais o saco de sessenta Kg para oitenta .Todos estes fatores contribuíram para a desativação dos viveiros de Chaval e de todo Nordeste do Brasil.Hoje a maior parte dos viveiros encontram-se inativos. Com tendência a voltar a produzir sal sofrendo um novo processo de transformação ,desta vez para a produzir sal. Se algumas salinas ainda não voltaram, é pelo fato do preço do sal está ainda muito defasado.

O CARANGUEJO EM CHAVAL.

O caranguejo já foi uma das mais importante fonte de renda de nosso município.

A expansão comercial do nosso caranguejo tem inicio na década de 60, quando começou a ser comercializado em outros municípios, principalmente na Capital do Estado ,a cidade de Fortaleza., onde eram comercializados.Em 1965, o amarrado de 10 caranguejo custava 10, ( Dez Contos de Reis) Moeda existente na época. Cada pescador de caranguejo pescava em torno de 100, amarrados por semana, contendo 10 caranguejos em cada amarrado em 3 dias de pesca.

O caranguejo tinha como destino às barracas das praias de Fortaleza tendo como destaque a barraca do Chico do caranguejo na praia do Futuro, uma das mais freqüentadas por turistas estrangeiros que vem se deliciar com o nosso caranguejo.

Mais como em excesso é prejudicial, o nosso caranguejo teve os primeiros sinais de escassez no final da década de 80, quando o comércio já estava em grande expansão comercial. Alguns fatores contribuiriam para que o caranguejo chegasse a esse ponto como: a pesca predatória, pesca do caranguejo que não atingiu o tamanho para ser comercializado que é de 6 cm: de cumprimento,permitido pelo o Ibama, a falta de fiscalização do Ibama, pesca na época da desova, pesca do caranguejo fêmea, a grande devastação para a construção de salinas e de retirada de madeiras para a construção de residências, e atualmente uma devastação ainda maior dos manguezais para a construção de criatórios de camarão em cativeiros, destruindo assim os manguezais que é o habitat natural dos caranguejos.

A pesca do caranguejo foi bastante reduzida , hoje cada pescador pesca em media 40 amarrados contendo 8 caranguejos, isso trabalho de 5 dias de pesca, quando chegam ao porto vendem cada a marrado de 8 caranguejos por R$2,00 . (dois reais) Cada amarado e em seguida o mesmo caranguejo é comercializado a 30;00$. (trinta reais) o amarrado com 40 caranguejos.

Comercializamos também as patinhas e a carne de caranguejos que tem alto valor comercial, mas é pouco vendido em nosso município, porque o preço é altíssimo sendo totalmente vendido para a capital.

Hoje já temos o controle da pesca do caranguejo, feito pela a colônia dos pescadores de Chaval, tem uma media de 60 pescadores de caranguejos (caranguejeiros) associados,80% deles são habilitados (Possuem a Carteira Marítima) que dá direito total a esse profissional da pesca do caranguejo.

RECURSOS HÍDRICOS:

A cidade de Chaval , fica situada dentro do ângulo formado pela confluência dos rios São João da Praia e Timonha.

O rio Timonha, nasce no sítio Buíra na serra da Ibiapaba e vai desaguar no Pontal no oceano Atlântico. Suas margens são cobertas de manguezais .

As águas salgadas sobem por ele até Chaval e tem excelente piscosidade. Recebe o Ubatuba, com a denominação de São João da Praia, servindo de limite com o Piauí

Açudes: Novo, Velho, Açudinho, Cruzeiro, Oliveira ,Carneiro. Barragens: Passagem, Retiro e Caldeirão.

Observação: Recentemente foi construído o açude Itaúna, que abastecerá os municípios de Chaval e Barroquinha.

CARACTERÍSTICAS DO AÇUDE ITAÚNA

O Açude Itaúna tem capacidade de 77.500.000 m3 de água, realizará um sonho dos habitantes de Chaval e comunidades vizinhas, solucionando os problemas da escassez de água oferecendo melhores condições para beneficiados. As atividades ligadas à agricultura, pecuária e pesca dos municípios

LOCALIZAÇÃO

Rio barrado: Timonha

Sistema: Rio Coreaú

Município: Chaval

Estado: Ceará

CARACTERÍSTICA DO RESERVATÓRIO

Área da Bacia Hidrográfica : 771,30km²

Área da Bacia Hidráulica 1.800,00há

Capacidade 77.500.000,00m³

Cota do coroamento da barragem: 36,60m

Vazão regularizada f= 90% 0,199 m³/s

Precipitação Média Anual: 577,00mm

Nível d’água máximo 450,20m

BARRAGEM PRINCIPAL

Tipo: Terra Homogênea

Altura máxima da barragem principal: 17,95m

Altura Máxima do dique nº1: 3,10m

Altura máxima do dique nº2: 4,10m

Extensão pelo coroamento barragem principal 436,00m

Extensão pelo coroamento dique nº1 : 46,00m

Extensão pelo coroamento dique nº2 : 117,00m

Cota do Coroamento : 36,60m

Volume total da barragem e diques auxiliares: 171.264,00m³

SANGRADOURO

Muro Com soleira delgada assente em canal natural escavado

Largura máxima 60,00m

Cota da soleira 35,50m

Descarga de projeto: 438,88 m³/s

Lâmina máxima (TR=1000 anos): 2,24m

Lâmina máxima (Tr=1000 anos): 2,64m

PONTO CULMINANTE DO MUNICÍPIO DE CHAVAL

O ponto culminante de Chaval, é a Pedra das Carnaúbas, com 104 metros de altura.

ASPECTOS CULTURAIS DE CHAVAL

CULTURA- A cultura em Chaval se manifesta de diversas formas: através da literatura de cordel, dos cantadores, das danças, jogos, festas religiosas ,comidas e brincadeiras típicas etc...Mas sua expressão mais forte encontra-se no Teatro e Artesanato.

Os costumes do Município os que mais se destacam :comidas típicas, as festas e o regionalismo da fala. Chaval tem como principais comidas típicas o baião-de-dois com caranguejo, caldeirada de peixe, camarão no alho e óleo, vatapá,ostra, moqueca de arraia , caranguejada, sururu e beiju, cajuína caseira.

O município comemora festas as festas juninas, do padroeiro Santo Antônio e o pau de Santo Antônio, regatas, vaquejadas e a festa de Nossa Senhora de Lourdes, realizada na Gruta e algumas brincadeiras como: reisado e o bumba-meu-boi e a Capoeira.

O Reisado é uma interessante manifestação cultural, que lembra as lutas pela conquista da terra, da época colonial que acontece depois do Natal, é uma manifestação popular que tem por base preconceitos religiosos.

O Bumba-meu-Boi é uma brincadeira que lembra uma fase importante da economia nordestina: o ciclo do boi, quando a pecuária se tornou uma das mais importantes atividades econômicas do Ceará.

Há também um forte regionalismo na fala, se destacando palavras e expressões como:fia, culumim, negrada e é chique etc.

No artesanato, temos grandes artesãos que produzem verdadeiras obras de artes em arte plásticas, bordadas, crochê., ponto de cruz, chapéu de palha, bolsa, espanador,tapetes e etc.Crenças - temos as lendas : “O Assobiador,” ! A Mão Cabeluda”, “O Homem a Procura de sua Cruz,” “ A Vassoura Preta” “Pé Grande” “Crescedor “ etc.

.

domingo, 1 de junho de 2008